terça-feira, 1 de maio de 2012

A Guerra Cultural


Todos nós, cristãos ou muçulmanos, espíritas ou ateus, temos algo em comum: temos consciência de que nossa civilização sofreu significativas mudanças nas últimas décadas. Nunca na História da Humanidade se falou tanto e paz e ao mesmo tempo nunca a mesma foi tão ausente. Como se pode dizer que uma civilização deseja ardentemente a paz quando nunca houve na história uma sociedade tão corrompida e suscetível à corrupção?
Quanta hipocrisia quando se fala nos Direitos Humanos e ao mesmo tempo se defende o aborto! Quando se fala no amor e se incentiva a mãe a odiar seu filho a tal ponto de matá-lo covardemente ainda em seu ventre! Criou-se uma falsa sensação de paz e de amor. Algo superficial e velado no ego do ser humano.
Será que essa situação tem reversão? Alguns dizem que não porque isso é conseqüência do progresso e da evolução. Mas tal progresso não foi feito pelo homem, como o homem não pode desfazê-lo?
Pior que isso é conseqüência da vida urbana. Não temos mais tempo de pensar em Deus ou em estudar as coisas santas como nossos antepassados. Não temos mais tempo para rezar ou ir às Missas diariamente… Tempo nós temos, mas compreendo que o cansaço e os demais afazeres nos impeçam, ou melhor, dificulte nossos atos de fé e piedade.
Estamos numa guerra contra o mundo, nossa Fé e nossos ritos são ridicularizados pelo mundo como não fossem nada. Por que os mesmos que ridicularizam e caluniam o Papa não o fazem com Maomé?
Os nossos maiores inimigos não são os hereges, nem os cismáticos ou os infiéis, pois antes deles há alguém que os corromperam… O demônio. Sim, foi com ele que começou todo esse vale de lagrimas (o que não exclui, evidentemente, a culpa dos seres humanos devida aos seus atos).
Mas além do demônio também temos outro inimigo forte e que nos persegue. O que é pior do que o demônio? Agir como um! O Pecado é uma praga que invadiu a humanidade! Os santos são a esperança para que essa guerra seja vencida! Quando a Igreja mais precisou deles, o Mestre sempre enviou trabalhadores à messe! Eis a razão porque a Igreja está fraca e o mundo está morrendo. Quando o clero está com saúde, o mundo está com resfriado; quando o clero está com um resfriado, o mundo está com uma pneumonia; e quando o clero está com pneumonia o mundo está morto!
A Guerra em que vivemos é uma Guerra Espiritual, nunca na história da humanidade as religiões (seja ela qual for) sofreram tantas perseguições por parte da corrente dos neo-ateístas. Crer em Deus hoje em dia é ser reduzido a um ridículo insignificante, mas a história está aí para provar que em toda a humanidade só surgiram sociedades ateias a partir do século XX, que do ponto de vista espiritual é, sem dúvidas, o século perdido, ou o século de Satanás, conforme a visão do Papa Leão XIII.
A religião sempre foi a fonte primária da moralidade das sociedades (evidentemente a moral natural pode ser conhecida apenas pelos caminhos da razão, mas nem todas as sociedades possuem grandes filósofos como Platão ou Aristóteles), nenhuma sociedade nunca negou esse fato, exceto as do século XX. Resultado: duas guerras catastróficas e milhões de mortos e outro número exorbitante de inválidos, sem falar nos regimes ateusque mataram outros milhões. A decadência da moralidade, principalmente sexual (que é um assunto para outro comentário), dentre outros…
A perda pode ser grande, a dor maior ainda, mas a vitória nunca pode ser posta em dúvida! A paz de Cristo não é desse mundo, mas do outro! Nunca devemos desanimar, por mais que o mundo seja contra! Jesus Cristo é o Rei do Universo e todos os seus seguidores têm a obrigação de proclamar isso perante a sociedade, principalmente a nossa! No fim a Verdade triunfará! Viva a Jesus Cristo! Viva a Igreja! Viva o Papa! Viva os Bispos! Viva os fiéis leigos! Viva as Autoridades Civis! Viva o Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário